VER.TE ITAIPAVA

entre verdes e azuis, sorrisos e sons...

ver-te e verter sobre você o prazer de estar aqui...

domingo, 26 de abril de 2009

Borboleta em frente ao mercado

Fui tirar a foto da casa na árvore e ganhei um presente: uma borboleta no jardim do supermercado. Sim, em Itaipava, os supermercados possuem jardim.

E sabe mais? Quando eu saía, tendo já guardado a máquina fotográfica, apareceu um beija-flor.



Casa na árvore: sem vidro




Como prometido, em frente ao mercado, a casa na árvore sem o vidro do carro.

Outros fúcsias







sexta-feira, 24 de abril de 2009

Delicadeza


Com um sopro se esvai...

Rima infantil







Acima e além dos telhados,



onde a vista alcança,



encontramos montanhas



de verde esperança.

Outra rua: outro tempo


Essa é uma rua. Como em outras, aqui trafegam automóveis, caminhões e ônibus. Mas também bicicletas. Não trafegam em ciclovias guiadas por ciclistas atletas e capacetes engraçados, nas regras da modernidade e da segmentação: servem para ir e voltar da escola e do trabalho. Conduzem uma ou duas pessoas, não sendo raro vermos senhoras, sentadinhas de lado e equilibrando-se no quadro, seguirem com maridos e filhos para seus afazeres.
Um outro modo de viver o tempo.

quinta-feira, 23 de abril de 2009

terça-feira, 21 de abril de 2009

Explosão fúcsia




Indicações mágicas: placas e casas com nomes


Como as ruas, as indicações para chegarmos a elas ou às casas contam também histórias.

Uma rua...




Em Itaipava encontramos várias ruas especiais. Algumas delas nos conduzem como num conto infantil: passando pelo armário e chegando na floresta... Um convite à descoberta...

Antes da chuva




O céu cinza e as nuvens tem também sua beleza.

segunda-feira, 20 de abril de 2009

De portas abertas


A palavra muro indica limite, separação. Mas em Itaipava, além de belos muros que quase nos fazem esquecer seus fins, encontramos portas abertas... Um portão aberto como um convite simpático.

Muros




Saída do mercado: casa na árvore

Você vai ao mercado. Nem sempre é o melhor passeio do mundo e além das filas, dos preços, muitas vezes passa por um estacionamento subterrâneo, escuro, com aspecto de sujo. Tudo bem, isso também há em Itaipava. Mas quando você sai da 'caverna' do estacionamento e volta-se para o mundo, diante de você há uma casa na árvore. E você entra em outra sintonia... como se estivesse num sítio de avô... Onde mais você sai do mercado e chega numa 'Casa da Árvore'?

Obs: o vidro do carro ofusca a imagem, mas voltarei lá e vou fazer outra foto, sem vidro.



Na estrada: a Pedra do Elefante


A pedra, por ela, encanta a muitos. Eu tenho uma história. Quando era pequena colecionava elefantes. Morava em Petrópolis e vez ou outra, em fins-de-semana, seguia com a família para Areal, no sítio dos tios. A família junta no carro com meu pai dirigindo, o sítio e suas pessoas maravilhosas, os dias ensolarados e felizes se reúnem na lembrança de uma colecionadora de elefantes. Naquela época, passar pela pedra era como um rito de passagem para a felicidade. Hoje, nem toda a família pode estar junta, as idas ao sítio diminuíram (que pena!), mas a pedra continua lá: eu olho pra ela e ela olha pra mim, numa cumplicidade que atravessa as temporalidades.

Jabuticabeira




Sol da manhã




Céu de Itaipava




Detalhes antigos: cabeça




Cerâmica Luiz Salvador




domingo, 19 de abril de 2009

Ladrilho hidráulico




A casinha e o ninho




Sombras de domingo




Varanda numa tarde de outono




Há tempos penso em postar imagens e referências que alimentem o prazer de estar em Itaipava, como certa vez vi um site de Palermo Viejo (BsAs)... Coisas simples e cotidianas que descansam os olhos e a alma. Ficarão imagens e palavras para quem gosta do lugar. E para quem o quer conhecer, pode ser uma porta de entrada... Hoje começo.