VER.TE ITAIPAVA

entre verdes e azuis, sorrisos e sons...

ver-te e verter sobre você o prazer de estar aqui...

terça-feira, 30 de junho de 2009

Espatódea: uma história

Em Itaipava há muito destas árvores frondosas de flores com uma cor de abóbora vivo. Desde que me mudei, me encantei com elas, mas não sabia nome ou detalhes botânicos. No Parque de Itaipava perguntei ao jardineiro, pois desejava colocar uma no quintal de casa. "Espatosa", ele respondeu. Toda prosa, falei para meio mundo e me referia a ela como uma conhecedora. Não cheguei a colocar no jardim (falta de oportunidade e receio das raízes, pois dizem desestabilizar terrenos), mas há relativamente pouco tempo, quando Nando Reis lançou uma doce música, ri muito de meu 'conhecimento' que sequer desconfiou da simplicidade do simpático jardineiro...

Espatódea
Nando Reis

Minha cor
Minha flor
Minha cara
Quarta estrela
Letras, três
Uma estrada
Não sei se o mundo é bom
Mas ele está melhor desde que você chegou
E perguntou:
Tem lugar pra mim?
Espatódea
Gineceu
Cor de pólen
Sol do dia
Nuvem branca
Sem sardas
Não sei se o mundo é bom
Mas ele está melhor desde que você chegou
E explicou
O mundo pra mim
Não sei se esse mundo está são
Mas pro mundo que eu vim já não era
Meu mundo não teria razão
Se não fosse a Zoé
Espatódea
Gineceu
Cor de pólen
Sol do dia
Nuvem branca
Sem sardas
Não sei quanto o mundo é bom
Mas ele está melhor desde que você chegou
E explicou
O mundo pra mim
Não sei se esse mundo está são
Mas pro mundo que eu vim já não era
Meu mundo não teria razão
Se não fosse a Zoé

domingo, 28 de junho de 2009

Janelas...

Diante dos últimos eventos, as grades se tornaram uma necessidade em todas as janelas da casa. Uma pena.

quinta-feira, 25 de junho de 2009

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Um amigo no passeio

Eu caminhava e alguém caminhava também, ao invés de voar.

domingo, 21 de junho de 2009

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Do quintal

Laranjas, tangerinas e limas...

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Café na Mara

Quando mudei para Itaipava, a Mara era casa de torta de uma portinha e a fábrica ficava em Petrópolis. Depois ela cresceu e firmou-se também como padaria. Fica no início da Estrada das Arcas é é uma perdição. Seus doces e salgados são muito gostosos e as meninas do atendimento nota dez. É verdade que em Itaipava atendentes em geral são pessoas sorridentes e disponíveis, mas ali houve desde sempre uma atenção e cuidado com isso. É uma empresa familiar cuidada com carinho. Eu comi uma sobremesa de banana que estava divina e ainda levamos pra casa uma canjica típica das Festas Juninas (observaram os enfeites? as atendentes também estavam paramentadas...). Adoramos todas as tortas, mas também os salgados: a foccacia vale à pena e eu adoro o croissant simples. Eles não tem site, mas não podia deixar de indicar aqui como chegar lá...

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Localizando Itaipava...

No Brasil, estado do Rio de Janeiro, distrito da cidade de Petrópolis...

imagem: http://www.petropolis.com.br/001img/mapa/Mapa121.jpg

Deck Itaipava

No feriado foi a oportunidade de conhecer o Deck Itaipava, que faz parte do Centro Gastronômico da Granja Brasil. Amigos falaram de uma farofa de ovo gostosa e fomos conferir. Começamos bem, com ambiente e atendimento agradáveis. O chopp estava gelado na medida, o couvert simples e acertado e a picanha honesta e saborosa. Valeu o almoço. Ah... a farofa de ovo é gostosa, mas gosto mais da que meu marido faz.

terça-feira, 16 de junho de 2009

Cores de domingo


O dia ensolarado e o frio convidavam a um passeio à pé.
As cores foram um presente à parte.

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Páscoa

Ao postar imagens da pizza de sábado, lembrei não ter postado nada da Páscoa realizada em casa pela primeira vez (sempre é na casa da mãe) e, surpreendentemente comemorada num sábado de Aleluia (!) em função das agendas da grande família. Chance de vermos quase todos os irmãos e primos, além de alguns amigos e seus filhos e um convidado especial muito fofinho - o Pitoco. O que seria um 'brunch', varou até tarde da noite: confraternização em larga escala num dia gostoso na serra.



sábado, 13 de junho de 2009

Itaipava é lugar de

...sonhar alto...

...e aprender a realizar.

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Brevíssima história da goiabeira da foto

Desde sempre a casa teve uma ribanceira difícil de recobrir com vegetação. Com uma terra avermelhada, todas estratégias para adornar de plantas o corte feito na montanha para a construção da casa foram inúteis. Nascem alguns capins e samambaias de mato de modo irregular, deixando visível a maior parte da terra...


Quando mudamos também tentamos novas coberturas e algumas delas exigiam uma rega constante. Lembro-me de levantar com o sol e regar antes de sair para o trabalho e chegar à noite e fazer o mesmo. Nessas regas, molhava também um graveto de folhas largas que se abancou no meio da ribanceira e vivia cheio de formigas. Brincávamos ser nosso criadouro de formigas e o deixávamos por lá, pois enquanto as diferentes espécies desistiam, ele permanecia. Estamos na casa há 7 anos e esse ano ele nos presenteou com seus frutos, fazendo-nos descobrir ser uma goiabeira. O barranco continua lá, mas hoje temos uma goiabeira que dá fruto...

Goiabeira e cipreste


quinta-feira, 11 de junho de 2009

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Fim de tarde

Fora levar alguém na beira da estrada, pois onde moro há pouco transporte. Saltei do carro e deixei que o azul claro e a luz translúcida me invadissem com intensa paz. Os sons acompanhavam a cena, pois apesar de automóveis acelerados passarem na estrada, eram poucos e ocasionais, permitindo ouvir o latido do cão, o vento, as árvores, as vozes de conversas ao fundo. Não é preciso muito, na verdade não é preciso nada além de prestar atenção.

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Sombras de nuvens

Gosto de sombras, gosto de nuvens, mas é algo especial a chance de ver assim, monumentalizadas, as sombras das nuvens numa montanha.
Junto com a certeza da chuva próxima (e os odores verdes que a certeza exala), dá medida de nossa insignificância ao mesmo tempo que nos faz sentir parte. Bom olhar, bom sentir.

domingo, 7 de junho de 2009

Ferro e madeira: outras histórias

Dentro de casa há algumas peças que unem esses dois materiais, mas algumas delas trazem mais histórias do que as outras. Minha casa está na família de meu marido há gerações. Foi adquirida por seu avô quando a região era pouco habitada e não havia sequer asfalto. No século XIX era região de uma grande fazenda, depois loteada: nossa casa está em um dos lotes. Durante uma parte da adolescência meu marido morou ali, mas para sua família ela sempre foi a casa de veraneio. O tempo passou, das mãos do avô a casa passou para minha sogra e hoje é nossa.
A mesinha da imagem sempre esteve ali, foi da avó, da mãe e agora é nossa. Pra mim é como um dos tijolos da casa. Já o espelho e castiçais, minha sogra me presenteou: coisas antigas encontradas no Uruguai. Juntas, dizem da família.
Eu gosto de Itaipava pelo lugar, pelo clima, pelas pessoas, mas muito também por suas histórias. Sensação boa de ser o seu lugar antes mesmo de você extistir.

sábado, 6 de junho de 2009

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Dentro de casa: detalhes de ferro e madeira

O móvel foi de tios muito queridos e coube-me como herança.
Sempre gostei dele, mesmo em outras casas, mas passei a gostar ainda mais pela trajetória para chegar à sala... família.

quinta-feira, 4 de junho de 2009

terça-feira, 2 de junho de 2009

Parque de Itaipava: cavalos

Quase um haras...
Época de exposição e ganhamos em beleza.

Para crianças.